Our Blog

Latest News

Ukulele – A flauta doce das cordas

A História do Ukulele

O ukulele é um instrumento considerado de origem havaiana surgiu na primeira metade do século XX, portanto um instrumento muito jovem, o qual teve seu ápice nos anos 40 e 50, nos Estados Unidos. No Brasil, nunca se ouvira falar deste instrumento até que o retorno dele na música pop mundial nos anos 90 através do sucesso do músico havaiano Israel “IZ” Kamakawiwoʻole, porém somente após o ano de 2005 que começa a se tornar mais conhecido no país e a partir de 2015 se torna muito popular com vários fabricantes locais produzindo o instrumento.

Confusão e diferenças

No Brasil existe uma confusão do ukulele com o cavaquinho, pois ambos possuem tamanho semelhante e ambos possuem 4 cordas, porém cavaquinho possui cordas de aço com uma altíssima tensão aplicada às cordas justamente para chegar à tessitura muito aguda, já o ukulele além de ser um instrumento possivelmente mais leve, com um braço mais largo que o do cavaquinho e com as cordas de nylon desencapadas e com a tensão das cordas muito menor leve que a do cavaquinho, e com um timbre bem característico havaiano que remete à praia.

Outra diferença com relação ao cavaquinho, além da afinação, é a forma de tocar. O cavaquinho por ser um instrumento típico do choro e samba, se utiliza de variações rítmicas muito complexas nas batidas de acompanhamento, quanto que no ukulele, é algo mais simples e de alguma forma, mais relax.

 

Similaridade do ukulele com o violão

Ao primeiro olhar, a afinação do ukulele parece algo muito diferente do violão, em especial aquela terceira corda mais grave que a quarta corda, porém, analisando mais profundamente, podemos chegar à conclusão que as cordas soltas do ukulele : La, Mi , Do, Sol, são o que seria uma pestana na quinta casa do violão, tanto que um fabricante japonês de instrumentos musicais, a Yamaha, criou um instrumento chamado “guitalele” que possui seis cordas do violão afinadas as cordas soltas nas notas da quinta casa do violão: Lá, Mi, Dó, Sol, Ré, Lá. Isso explica que os “shapes” dos acordes do ukulele são os mesmos do violão.

 

Ukulele como uma excelente ferramenta didática 

Didaticamente, o ukulele é um instrumento que consegue mitigar a dor dos calos das pontas dos dedos da mão esquerda, um empecilho que ocorre logo nas primeiras aulas de violão, que faz com que muitas pessoas desistem de tocar violão, em especial, crianças.

Com o ukulele, a dor é muito menor e faz com que o aluno se acostume de uma maneira mais suave, de tal modo que, ao migrar para o violão no futuro pois os dedos já estarão acostumados e o aluno não sentirá as dores dos calos da mão esquerda, tornando o ukulele uma ferramenta didática excelente para a iniciação de músicos iniciantes e crianças, além de desobrigar a mão direita aos dedilhados mais complexos do violão, sendo realmente a melhor preparação para iniciação ao violão.

Ukulele - A flauta doce das cordas

Ukulele – A flauta doce das cordas

Ukulele: a flauta doce dos instrumentos de cordas

Comparo o ukulele diretamente com a flauta doce por uma série de motivos:

  • Instrumentos mais fáceis e prazerosos para alcançar resultados logo nas primeiras aulas;

 

  • Preparação ideal para instrumentos mais elaborados, da flauta doce, geralmente o músico migra para a flauta transversal ou saxofone, e do ukulele , migra para instrumentos de corda como violão e guitarra;

 

  • Tessitura do instrumento limitada o que faz com que os músicos migrem para outros instrumentos;

 

  • Facilita muito o trabalho de musicalização infanto-juvenil;

 

O ukulele para iniciantes é um instrumento mais caro que a flauta doce para iniciantes, porém, imagine 30 crianças com 30 flautas doce nas mãos, e agora imagine as mesmas 30 crianças com um ukulele nas mãos…Seguramente o professor de ukulele para crianças será uma pessoa mais feliz e tranquila.

 

Personalidade musical do instrumento: flauta doce e ukulele

Sempre haverá, músicos que irão dedicar uma vida ao instrumento, flauta doce e ukulele, porém com um repertório específico e, de certa forma, limitado. A flauta doce com um repertório de música erudita do período medieval, renascentista e barroco, além de música brasileira folclórica e contemporânea. O ukulele acaba ficando limitado a um repertório de música pop servindo, muitas vezes, de acompanhamento para a voz do intérprete. Em ambos os casos há exceções e artistas que acabam explorando o instrumento ao limite das suas possibilidades, mas vale dizer que estes músicos fazem parte de uma exceção, e não de uma regra.

 

Vale a pena começar no ukulele?

Minha resposta é sim, vale muito a pena iniciar a trajetória musical pelo ukulele. Paul McCartney comentou numa entrevista que a mãe do John Lennon, o qual ele conheceu durante a sua adolescência, tocava ukulele e que ensinou ao John Lennon ukulele e que há uma probabilidade grande de Lennon ter sido iniciado na música através do ukulele.

Lenda ou não, mesmo assim há muitos motivos para iniciar a trajetória musical pelo ukulele:

  • Instrumento que viabiliza ter uma iniciação musical mais precoce, por ser anatomicamente possível uma criança de 4 a 6 anos tocar o instrumento;
  • A mitigação da dor dos dedos evitando a evasão dos alunos;
  • Possibilidade de bons resultados logo nas primeiras aulas.

 

Conclusão

Com tudo isso, o ukulele pode sim ser uma ferramenta didático-musical poderosa facilitando a musicalização infanto-juvenil e tornando a experiência musical mais prazerosa e eficaz.

Além disso, pode fazer com que muitos músicos se apaixonem pelo instrumento e decidam se aprofundar e se desenvolver no mesmo, posto que há muitos casos, no exterior e no Brasil, de músicos que ampliaram os horizontes dos instrumentos e que tocam um repertório muito mais amplo.

De qualquer forma, na minha posição de professor de violão, o uso do ukulele como ferramenta didática de desenvolvimento musical e uma forma preparatória para o violão e a guitarra como uma base sólida de musicalização, me coloca numa posição de utilização profunda do mesmo, posto que não sendo da área dos instrumentos de sopro, não podendo lançar mão do uso da flauta doce, o ukulele é a minha arma de musicalização de muitas crianças, jovens e adultos.

O ukulele é um bom caminho para se experimentar a prática de tocar e não ficar somente na teoria, como eu compartilho nesse artigo sobre O saber musical.

Até o próximo!

O saber musical

Deixe uma resposta